A prova Era Uma Vez apresenta o início de uma história e pede à criança para inventar a sua continuação. Uma das histórias tem o pai e a mãe a discutir. Francisco (nome fictício), 7 anos, tem os pais separados. Conta a seguinte história: “Como o menino percebeu que os pais estavam muito zangados um com o outro, tentou impedir os pais mas os pais disseram ‘Deixa os pais tratarem do assunto’. Mas depois o menino começou a chorar muito e depois de tanta choradeira e tanta discussão os pais tiveram um acordo e o pai disse o acordo ao menino e ficou tudo bem. Depois o menino foi ver bonecos e descansado que os pais não estavam a discutir e iam fazer uma coisa muito boa.”

A separação dos pais é sempre um momento de crise e de perda. Mas quando os adultos “tratam do assunto” e arranjam “um acordo”, é possível reorganizar a vida. Francisco é um menino vivo, conversador, com sentido de humor e boa capacidade de aprendizagem na escola. Francisco passou pela crise e está bem. São os conflitos que se mantêm, as tristezas que não se vivem, os adultos que não tomam nas suas mãos a resolução da crise, que trazem problemas às crianças. As vidas têm percalços, nem sempre os pais conseguem dar o que gostavam aos seus filhos, mas alguns pais conseguem dar o bom suficiente em circunstâncias difíceis.